terça-feira, 17 de maio de 2022

Lanterna Mágica celebra a poesia no cinema antifascista de Pasolini

 

Em tempos de lutar contra o fascismo, o Cineclube Lanterna Mágica, em parceria com o Sistema Integrado de Bibliotecas da Unisanta, celebra a poesia no cinema antifascista de Pier Paolo Pasolini, cineasta e poeta italiano que completa 100 anos em 2022. Para conhecer melhor sua obra, será realizado o Ciclo de Cinema “Pasolini – Ano 100”, de 19 de maio a 30 de junho, sempre numa quinta-feira, às 15h, na Sala Maurice Legeard de Cinema (Bloco E – 5.° andar – Unisanta), com entrada gratuita.

O Ciclo também faz parte das celebrações do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 e terá bate-papo on-line ao final de cada sessão, dentro do formato de produção do #Cinapse_Cast, no instagram @cineclubelanternamagica. Para participar das sessões, não é necessário fazer reserva, basta chegar 15 minutos antes do início da exibição.

Foram selecionados seis filmes para retratar a poesia e o moderno, com base nas paixões do cineasta. São cinco filmes de Pasolini e um filme sobre a vida dele, dirigido por Abel Ferrara. A programação terá os seguintes filmes: (19/05) Pasolini, de Abel Ferrara, (26/05) Accattone – Desajuste Social, (02/05) O Evangelho Segundo São Mateus, (09/06) Édipo Rei, (23/06) Teorema e (30/06) Pocilga.

Sua turma no Lanterna!

Agora o espectador que não puder participar da sessão às 15h, poderá convidar seus amigos para uma sessão extra, no mesmo dia às 19h, mas terá que ter o mínimo de 10 pessoas e máximo de 40. O agendamento deverá acontecer com até 48h de antecedência pelo WhatsApp (13) 98230 4599.

Pasolini 
(Bolonha, 5 de março de 1922 — Óstia, 2 de novembro de 1975)

“Eu sou escandaloso. Porque eu estico uma corda, ou melhor, um cordão umbilical, para conectar o sagrado e o profano”. — Pier Paolo Pasolini

Mestre do cinema mundial que em março completaria seus 100 anos de nascimento, Pasolini faleceu em 1975, mas deixou um legado importante sobre a luta contra uma sociedade hipócrita que mata em nome de um deus condescendente e míope. Os filmes de Pasolini são povoados por figuras marginalizadas e contraditórias, que o visionário cineasta italiano sonhou em um mundo conturbado e no limiar da mudança. Um dos pensadores mais reverenciados do cinema, Pasolini também tinha suas contradições. O radical antifascismo se encontra com o catolicismo devoto, a rigidez da tradição se choca com o progresso da revolução sexual e política. As fortes tensões em ação em seus filmes desafiaram o status quo e o levaram aos limites da censura. O sagrado nos filmes de Pasolini pode ser encontrado onde menos se espera: atolado na lama e palpável às margens da vida social. Indecente, primordial, apaixonado e provocador.

Cultura, Pesquisa e Extensão Universitária

Esta ação cultural faz parte dos estudos e pesquisas do LabCine – Unisanta, que abordam o afeto nas narrativas imersivas presentes no cinema. Para expandir os saberes construídos no ciclo de cinema “Pasolini – Ano 100”, serão realizados debates dentro do formato do #Cinapse_Cast. Os conteúdos elaborados no programa estarão relacionados à pesquisa da cartografia do afeto no cinema em Santos, onde tem um grande histórico de realizadores, amantes de cinema, além de ser cenário para muitos filmes e produções audiovisuais, devido ao seu legado artístico, arquitetônico e sociopolítico na história brasileira. Para unir esses dados dentro de um mapa interativo, a Produtora Ricci Filmes está realizando, em parceria com o LabCine – Unisanta, o Mapa Cine Afetivo de Santos.

Mais informações sobre os filmes e ações do ciclo de cinema em www.unisanta.br/cineclube.

>> PROGRAMAÇÃO

* Início da sessão sempre às 15h

19/05 > Pasolini (FRA e ITA, 2014), de Abel Ferrara. (Dur.: 1h25)
Sinopse: Uma crônica dos últimos dias de vida do cineasta e escritor Pier Paolo Pasolini, cujo corpo foi encontrado na praia de Ostia na manhã do dia 3 de novembro de 1975. O filme acompanha as suas ideias para um filme não realizado, sua última entrevista polêmica, os textos provocadores contra a ordem estabelecida e a relação com os desejos homoafetivos.

 

26/05 > Accattone – Desajuste Social (ITA, 1961) (Dur.: 2h)
Sinopse: Os santos e os malditos. A Renascença dos proxenetas, poetas e trapaceiros. Uma obra de resistência, a estreia vívida de Pasolini é frequentemente citada como o último dos filmes neorrealistas italianos. Direcionando seu olhar à vida dos pobres na cidade, Accattone desenterra o sagrado no profano.

 

02/06 > O Evangelho Segundo São Mateus (ITA, 1964) (Dur.: 2h20)
Sinopse: Um olhar comovente sobre a vida de Cristo, com uma textura singular, do maior poeta-cineasta italiano. Vindo de um ateu-Marxista gay como Pier Paolo Pasolini, o tratamento radicalmente realista – ousamos dizer reverencial – da crença religiosa é surpreendente, tendo sido aclamado até pelo Vaticano!

 

09/06 > Édipo Rei (ITA, 1967) (Dur.: 1h45)
Sinopse: Após O Evangelho Segundo Mateus, Pasolini se inspira em outro texto clássico nesta interpretação pessoal da tragédia imortal de Sófocles. Indo do Marrocos a Bolonha para seu primeiro filme colorido, o diretor monta em três partes um épico extremamente ambicioso sobre os mitos na modernidade.

 

 

23/06 > Teorema (ITA, 1968) (Dur.: 1h40)
Sinopse: Em Milão a vida de uma rica família burguesa é totalmente modificada por um misterioso visitante (Terence Stamp), que seduz a empregada, o filho, a mãe, a filha e finalmente o pai. Além disto, tem um contato intelectual com todos eles convencendo-os da futilidade da existência e, após cumprir seu objetivo, parte em poucos dias.

 

30/06 > Pocilga (ITA, 1969) (Dur.: 1h40)
Sinopse: Uma fusão perturbadora do passado e presente, uma história surrealista de canibalismo e um golpe para a burguesia que ainda ressoa. Estrelado por Jean-Pierre Léaud e Pierre Clémenti, Pocilga é uma maravilha cult sobre a decadência moral vista por um dos grandes visionários do cinema, Pasolini.

 


>> NOSSOS CONTATOS E REDES SOCIAIS

 > WhatsApp: (13) 98230-4599

 > SITE: www.unisanta.br/cineclube

 > E-MAIL: cinelanternamagica@gmail.com

 > YOUTUBE: Cineclube Lanterna Mágica

 > INSTAGRAM: @cineclubelanternamágica

 > FACEBOOK:

– www.facebook.com/cineclube.lanternamagica/

– www.facebook.com/labcineunisanta/

sexta-feira, 1 de abril de 2022

 

Sabores que Ficam

Passando pra relembrar como foi a semana de "Ciclo de Cinema Regurgitofagia"...



Clique no título do filme para ver o cine debate de cada dia:


Dia 1:

Amor à Flor da Pele (2000) - Wong Kar-Wai

Dia 2:

Ensaio sobre a Cegueira (2008) - Fernando Meirelles


Dia 3:

Deserto Particular (2021) - Aly Muritiba 

 

Dia 4:

Moonlight - Sob a Luz do Luar (2016) - Barry Jenkins 


Dia 5: 

 Ataque dos Cães (2021) - Jane Campion

 




quinta-feira, 10 de março de 2022

Cineclube da Unisanta realiza ciclo de cinema com foco no moderno transgressor


O Cineclube Lanterna Mágica, da Unisanta dá continuidade às celebrações do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, com o Ciclo de Cinema “Regurgitofagia”, que exibirá sempre às 18h os filmes: 21/03 – “Amor a Flor da Pele” (CHI, 2000), 22/03 – “Ensaio Sobre a Cegueira” (BRA, ING, 2008), 23/03 – “Deserto Particular” (BRA, 2021), 24/03 – “Moonlight - Sob a Luz do Luar” (EUA, 2016), 25/03 – “Ataque dos Cães” (EUA, 2021). Uma seleção de filmes que trazem o moderno no cinema e seu avesso. Cada filme será abordado a partir de um tema atual e terão sua cinematografia como ponto de partida para o debate on line, coordenado pelo cineasta e jornalista Eduardo Ricci, logo após a exibição. No dia 23 de março haverá um bate-papo on line, com o cineasta Aly Muritiba para falar de seu filme “Deserto Particular” que ganhou o prêmio de melhor filme do júri popular, no Festival de Veneza de 2021. Já no dia 24 o bate-papo será com a psicóloga Arélia Rios, que abordará o racismo estrutural denunciado no filme “Moonlight - Sob a Luz do Luar”, vencedor do Oscar 2017 e no livro “O Avesso da Pele”, vencedor do prêmio Jabuti de 2021. Programação com entrada gratuita e não é necessário fazer reserva, basta chegar 15 minutos antes do início da sessão. Mais informações sobre os filmes e ações do ciclo de cinema em www.unisanta.br/cineclube.

Regurgitofagia

A palavra tem sua origem na peça teatral criada em 2004, pelo ator e poeta Michel Melamed. Seu significado mistura o conceito de regurgitar (vomitar, expelir os excessos), com fagia (sufixo que indica o ato de comer). A palavra foi escolhida para traduzir a proposta do ciclo de cinema que busca debater o conceito de identidade e o pertencer na sociedade brasileira atual. A cinematografia dos filmes selecionados dialoga com o conceito central da peça de Melamed, onde ele mesmo escreveu, "vomitar os excessos a fim de avaliarmos o que de fato queremos redeglutir". Toda essa releitura trará um rico debate sobre os filmes e suas possíveis conexões com o moderno, o transmoderno e os movimentos culturais que surgiram a partir da Semana de Arte Moderno de 1922. 


Viva o Cinema Brasileiro
Após sua exibição no Ciclo de Cinema, o filme “Deserto Particular” (BRA, 2020) ficará em cartaz na Sala Maurice Legeard de Cinema entre os dias 28/03 e 01/04, sempre às 16h, com entrada gratuita.

Esta é uma ação cultural em conjunto com o LabCine e SIBi – Unisanta, com apoio cultural da Vídeo Paradiso e da Comissão Organizadora da Semana de Arte Transmoderna de 2022. 


>> Programação

21/03 . 18h - Amor a Flor da Pele (CHI, 2000)


. Tema em debate: Desejo e a não violência

. Sinopse: Em 1962, o jornalista Chow Mo-wan se muda para Hong Kong com sua mulher, que está sempre envolvida com o trabalho e para pouco em casa. Chow faz amizade com a vizinha Su Li-zhen e ambos descobrem que seus parceiros os traem.

 //////////////

 22/03 . 18h  - Ensaio Sobre a Cegueira (BRA, ING, 2008)

. Tema em debate: Direito a cidade e distopia

. Sinopse: Uma epidemia conhecida como cegueira branca atinge uma cidade. A mulher de um médico é a única pessoa que ainda consegue enxergar. Ela vai para um abrigo com seu marido cego e encontra todos vivendo em condições precárias.

  //////////////

23/03 . 18h - Deserto Particular (BRA, 2020)

. Tema em debate: Desejo e Transmodernidade

. Sinopse: Daniel é um policial exemplar, mas acaba cometendo um erro que coloca em risco sua carreira e sua honra. Quando nada mais parece o prender a Curitiba, ele parte em busca de Sara, uma mulher com quem se relaciona virtualmente.

//////////////

24/03 . 18h - Moonlight - Sob a Luz do Luar (EUA, 2016) 

. Tema em debate: Racismo estrutural e lgbtfobia

. Sinopse: Black trilha uma jornada de autoconhecimento enquanto tenta escapar do caminho fácil da criminalidade e do mundo das drogas de Miami. Encontrando amor em locais surpreendentes, ele sonha com um futuro maravilhoso.


//////////////

25/03 . 18h - Ataque dos Cães (EUA, 2021)

. Tema em debate: Masculinidade tóxica e o desejo homoerótico

. Sinopse: Um fazendeiro durão trava uma guerra de ameaças contra a nova esposa do irmão e seu filho adolescente, até que antigos segredos vêm à tona.




sábado, 5 de fevereiro de 2022

VEM DEGUSTAR ALMODÓVAR E CINETOUR AFETIVO

               ALMODÓVAR E CINETOUR AFETIVO NA PROGRAMAÇÃO CULTURAL 


Vem degustar essa programação cultural cheia de surpresas para celebrar o centenário da Semana de Arte Moderna de 22. Decubra novos desejos ao ver um filme de Pedro Almodóvar e também permita-se conhecer outras cidades de Santos dentro de você. Participe da programação da produtora da experiência do cinema #RicciFilmes e do #CineclubeLanternaMágica da #unisanta ... Liberte-se das amarras que te informam que o tempo é apenas cronológico, somos mais que seres que precisam produzir sentidos dentro ou fora da caixinha. Você pode ampliar sua zona de conforto ao invés de ficar buscando loucamente sair dela. Entendemos que conforto é quando aquilo que te dá prazer pode expandir o teu ser!!! Só vem e traga os seus afetos...

18/02 – 18h >> Sessão Especial “Cinema, o Moderno e seu Avesso”
Sessão especial com exibição e debate de “Madres Paralelas”, o novo filme do cineasta espanhol Pedro Almodóvar, com entrada gratuita. A exibição do filme será via streaming NetFlix e apenas para quem estiver presente na Sala Maurice Legeard de Cinema. Já o debate poderá ser acompanhado a partir das 20h, tanto presencialmente como on line pelo canal www.youtube.br/unisantaweb
e pela página www.facebook.com/cineclube.lanternamagica.


//////////////////////////////////////////////////////




19/02 – 16h30
>> O que é o CineTour Afetivo - Cinelândia Santista?
É uma cine imersão e passeio cultural ao ar livre, de ocupação da cidade a partir do afeto de alguns pontos cinematográficos da orla de Santos e da Cinelândia Santista. Em 2h de caminhada, o grupo vai visitar locações que serviram como cenários de filmes e séries e, mais do que isso, irá conhecer pontos de turismo histórico cultural e onde existiram as antigas salas de cinema e também as atuais salas que ainda resistem na região conhecida como Cinelândia Santista.







sexta-feira, 25 de junho de 2021

Navegue pelos sabores de 'Rosa e Momo'

 Corre que ainda dá tempo de ver o filme 'Rosa e Momo' antes do próximo episódio do Cinapse Cast que irá abordar a questão dos refugiados e a imigração contemporânea!



E para você saborear ainda mais este universo, separamos algumas dicas para você!

Vamos começar com dicas de filmes, claro.


Happy end


A cidade onde envelheço


Estive em Lisboa e lembrei de você

Depois destas dicas M A R A V I L H O S A S vamos para o maravilhoso professor Heinz Dieter Heidemann, professor da USP que estuda a  mobilidade do trabalho, migrações, crise social, história do pensamento geográfico, paisagem, geografia e literatura (em especial: João Guimarães Rosa), sertão mineiro e Nordeste do Brasil.



Agora se você é mais do tipo que gosta de sentar e ler um bom livro, temos este aqui para te indicar:



'Minha casa é onde estou' de Igiaba Scego


Agora, se bateu aquela fome nós temos uma receita de doce árabe deliciosa chamada Maamoul.




Ingredientes

  • 1 kg de semolina

  • 2 xícaras (chá) de manteiga sem sal derretida e fria

  • cerca de ¾ de xícara (chá) de leite

  • 1 colher (chá) de água de flor de laranjeira

Recheio:

  • 350 g de tâmaras moídas no processador

  • 1 colher (chá) de água de flor de laranjeira



Modo de preparo

  • Coloque a semolina numa tigela e acrescente a manteiga aos poucos.

  • Misture bem e deixe descansar até o dia seguinte.

Recheio:

  • Numa tigela, misture as tâmaras com a água de flor de laranjeira e reserve. Junte o leite, aos poucos, à massa de semolina, amassando muito bem.

  • Abra pequenas porções de massa sobre a palma da mão, coloque o recheio e feche muito bem.

  • Faça uma bolinha, envolva em semolina e coloque em colheres de madeira próprias, para dar os formatos.

  • Retire das colheres e disponha numa fôrma (não é necessário untar).

  • Leve ao forno médio (170ºC), até que comece a dourar.

  • Depois de assado, envolva o doce em açúcar refinado.

E para finalizar com chave de ouro, a música do palestino Jowan Safadi, 'The police song' que você pode escutar através deste link -> https://youtu.be/_TVyZjuowwA







Sabores de 'Rosa e Momo'

               Olha só quantos sabores do filme 'Rosa e Momo' você pode experimentar até o nosso próximo episódio do #cinapse_cast que irá abordar a questão dos refugiados e a imigração contemporânea através deste filme



 

quarta-feira, 23 de junho de 2021

Crip Camp: A revolução pela inclusão



    Já imaginou ir num acampamento, onde o amor é livre e não haja diferença no tratamento para seus frequentadores? Jovens e adultos, com e sem deficiência convivendo sem diferenciação? Tudo isso durante os anos 50 e 70, nos Estados Unidos? Conseguiu imaginar isso? É essa a proposta do documentário que da título a esse texto.

    Durante 1951 e 1977 o acampamento “Jened” recebeu pessoas com qualquer tipo de deficiência, seja física ou intelectual, tornando-se um oásis da sociedade para esses jovens ser quem eles eram. Sem a superproteção familiar, podiam em rodas de amigos compartilhar suas angústias, reclamar como se sentiam sufocados pelas suas famílias e em alguns casos podiam enfim ter convivência social, já que muitas vezes eram escondidos por suas próprias famílias.



    O acampamento Jened foi o responsável por dar o pontapé inicial no movimento americano pelos direitos das pessoas com deficiência na década de 1970. É nesse ponto que o documentário se torna tão necessário e essencial em 2021, pois apesar de agora ter rampas de acesso na esquina, botões em braile no elevador e crianças com deficiência serem aceitas na escola ao invés de ficarem escondidas em casa, estamos muito aquém do que é necessário e que fazer o mínimo como se fosse o máximo é o que deve ser mudado.

    O documentário mostra com muita sensibilidade e nas doses corretas a mensagem da inclusão social como deve ser em sua quase utopia junto com histórias de lideres dos direitos civis americanos.

    Num ano pandêmico, a Netflix entrega o que é mais necessário para o atual momento: esperança



Texto de Ronaldo Júnior, aluno de Jornalismo da UNISANTA